Panorama da Teologia Feminista Brasileira – parte 3

Esse texto faz parte da série Panorama da Teologia Feminista Brasileira.
[parte 1, parte 2, parte 3, parte 4, parte 5, parte 6]

Como diria Ivone Gebara “a teologia feminista é parte de uma revolução cultural que ainda está em seus primeiros passos”.  A série “Panorama da Teologia Feminista Brasileira” tem como objetivo dar visibilidade e voz para as mulheres que tem ousado dar esse passo e fazer parte dessa revolução cultural. A terceira parte da série abordará 6 mulheres engajadas na teologia e hermenêutica feminista.

Wanda Deifelt

Wanda Deifelt é brasileira, luterana, possui graduação em Teologia pela Escola Superior de Teologia – EST, de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. Tem mestrado pelo Garrett-Evangelical Theological Seminary e doutorado pela Northwestern Univesity, ambas na cidade de Evanston, estado de Illinois, EUA. Atua como professora e coordenadora do departamento de Religião da Luther College, na cidade de Decorah, estado de Iowa, EUA. Trabalha com teologias contextuais, em especial teologia feminista. Entre os temas que aborda estão Lutero e luteranismo, criação, cristologia, direitos humanos e sexualidade.”

É autora do livro “À flor da pele – Ensaios sobre gênero e corporeidade”( 2004). Escreveu inúmeros artigos com a temática da teologia e hermenêutica feminista, entre eles: “Maria Madalena: a primeira testemunha da ressurreição.” (1985); “Os primeiros passos de uma hermenêutica feminista: a Bíblia das Mulheres, e ditada por Elizabeth Cady Stanton.” (1992); “Palavras e outras palavras: a teologia, as mulheres e o poder” (1996); ” Mulheres na educação teológica no Brasil” (1992) ; ” Mulheres pregadoras: uma tradição na Igreja” (2001);  “Temas e metodologias da teologia feminista” (2003);  “O corpo em dor: uma análise feminista da arte pictórica de Frida Kahlo” (2004); “Gênero e AIDS: o desafio das mulheres diante da pandemia do HIV” (2004);  “Contribuições da teologia ecofeminista para uma leitura ecológica da Bíblia” (2003).

Isabel Aparecida Félix

Assessora nacional do CEBI, co-fundadora da ONG MENINA FELIZ de Campina Grande-PB e autora de artigos relacionados à hermenêutica feminista da Bíblia. “Doutora em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (2010), Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (2003) e graduadação em Pedagogia (Licenciatura Plena) pela Faculdades Associadas do Ipiranga (1989). Interessada, especialmente em Metodologia e Hermenêutica, Religião e Direitos Humanos e na relação entre Estudos Culturais e uma hermenêutica antropológica de textos sagrados e outros textos.” (CV LATTES)

Organizadora do livro “Teologias com Sabor de Mangostão” ( 2009). Produziu artigos como: “Gênero, Religião e Políticas Públicas” (2007);  “Avançamos muito, mas ainda há muito chão pela frente” (2006); “Uma homenagem a vida e obra de Ivone Gebara Uma mulher sábia, compassiva e de liberdade profética/poética” (2014); ” A contribuição da Hermenêutica Feminista da Bíblia para o processo de concientização em vista da transformação da realidade” (2006); “A função desmistificadora da Hermenêutica Feminista da Bíblia” (2006);  “Invitación a repensar el potencial de transformación del método de la Lectura Popular de la Bíblia” (2011).

Carolina Bezerra de Souza

“É mestre em Ciências da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília (2000). Foi engenheira de desenvolvimento da Wise Telecomunicações de 2001 a 2008. Tem experiência na área de Engenharia Elétrica, com ênfase em Eletrônica para Telecomunicações. Bacharel em Teologia pela Faculdade Batista do Rio de Janeiro (2011), mantida pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil. Atualmente é doutoranda do Programa de pós graduação stricto senso em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás onde trabalha na linha de Literatura Sagrada especialmente nos textos neo-testamentários sob perspectiva de gênero” (CV LATTES)

Seu mestrado teve a temática “Jesus e as mulheres no Evangelho de Marcos: Paradigmas de relações de gênero” (2014). Está fazendo sua pesquisa de doutorado também no Evangelho de Marcos, com o título “Marcos: evangelho das mulheres“. Escreveu artigos como “As mulheres: modelo de seguimento no movimento de Jesus e na Igreja” (2012);  ” Teologia pública e a questão da cidadania e da violência contra a mulher” (2013); “Mulheres, Religião e Mudança Social: Uma Aproximação ao Tema no Ambiente da Ditadura Militar no Brasil” (2015).

Marcia Blasi

“Doutoranda em Teologia pela Escola Superior de Teologia. Possui Bacharelado em Teologia pela Escola Superior de Teologia (1997) e Mestrado pelo Graduate Theological Union, Berkeley, CA/EUA (2001). Atualmente é professora de Teologia Feminista e Co-coordenadora do Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST, em São Leopoldo/RS. É Assessora do Conselho da Federação Luterana Mundial para questões de gênero e facilitadora da Rede de Mulheres e Justiça Gênero da Federação Luterana Mundial na América Latina. É Pastora Ordenada da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil desde 1998. Foi Pastora Vice-Sinodal no Sínodo Noroeste Riograndense.” (CV LATTES)

Organizou o livro, com a colaboração de outros colegas, “Ainda Feminismo e Gênero” (2013). Escreveu artigos e capítulos de livros com os seguintes títulos: “Aconselhamento Pastoral em Perspectiva Feminista Princípios Básicos” (2014); “Gênero e Poder” (2013); “Nem tão doce lar” (2012); “Questões de Gênero e a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil” (2009); “Coisas do Gênero: Revista de estudos feministas em gênero e religião” (2015).

Mercedes Lopes

“Possui graduação em Licenciatura em Teologia e Bíblia pela Universidade Bíblica Latino Americana (1995), graduação em Teologia Sistemática pelo Instituto Boliviano de Teologia a Distância e Universidade Católica Bolívia (1992), mestrado em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (2004) e doutorado em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (2007). Tem experiência na área de Teologia, com ênfase em Pesquisa Bíblica, atuando principalmente nos seguintes temas: exegese, mulher, cidadania, ecologia, justiça, Jesus, sabedoria.” (CV LATTES)

Seus escritos são inúmeros, destacarei alguns artigos e capítulos de livros publicados: “Mulheres que inventam saídas” (1996); “Pontos básicos para uma leitura de Gênero no CEBI” (2000); “Espiritualidade Patriarcal e Imagens de Deus” (2003); “Maria Madalena e as outras Marias” (2004); “Mulheres da Bíblia a serviço da vida” (2008);  “Mulheres da Bíblia a serviço da vida” (2012);  “A mulher sábia e a sabedoria mulher” (2007);  “O papel de Marta na comunidade Joannina” (2016); “Fui tecida em segredo, na terra mais profunda” (2016).

Claudete Beise Ulrich

“Possui graduação em Teologia pela Escola Superior de Teologia (1987), graduação em Pedagogia – habilitação Educação Infantil pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2005), mestrado em Teologia Prática pelo Instituto Ecumênico de Pós Gradução da Escola Superior de Teologia (2002) e doutorado em Teologia, área de concentração religião e educação também pelo Instituto Ecumênico de Pós Gradução da Escola Superior de Teologia (2006), tendo tido como orientador Prof. Dr. Alceu Ferraro Ravanello e co-orientador Prof. Dr. Evaldo Pauly. Realizou pós-doutorado na Universidade Federal de Santa Catarina sob a supervisão da Profª. Drª. Joana Maria Pedro (2007-2008). De 2009 a 2012 atuou como intercambista em projetos ecumênicos na região de Hannover/Alemanha. De 2012 a 2015 atuou como coordenadora de estudos na Academia de Missão junto a Universidade de Hamburgo/Alemanha. Desde agosto 2015 é professora de teologia na Faculdade Unida em Vitória no Espírito Santo. Tem experiência religião, história e educação, atuando principalmente nos seguintes temas: diversidade, teologia feminista, gênero, educação, religião, história das mulheres, história oral, teologia pública, feminismo, história da criança, protestantismo, mulheres e movimento da reforma protestante, pedagogia e teologia da libertação.” (CV LATTES)

Organizou o livro, com outros colegas, “Maria de todas nós” (2013); “Retratos das mulheres da OASE – quem foram e quem são: Caderno de memórias” (2006). Publicou diversos capítulos, como: “Ensino Religioso e relações de gênero: tecendo novos e coloridos fios – contribuições para um currículo não sexista‘ (2005); “Mulheres atuantes” (2006); “Gratidão por ter compartilhado o ministério com Hulda e Hildegart“(2012);  “Maria, Marias em mim!” (2013); “Práxis ética do cuidado e relações de gênero: alguns apontamentos para práticas educativas emancipatórias” (2015); “As mulheres na Reforma Protestante” (2015). Artigos diversos: “Marta e Maria: as mulheres dão sinais da vivência de uma nova espiritualidade” (1995); ” Movimento de mulheres e feminismo em tempos de ditadura milita (1964-1989) e a sua relação com a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil” (2009); “Mulheres pobres brasileiras e o cuidado com a criação: uma perspectiva teológica feminista da libertação e relações de gênero” (2011).

5 pensamentos sobre “Panorama da Teologia Feminista Brasileira – parte 3

  1. Pingback: Panorama da Teologia Feminista Brasileira – parte 2 | angeliquisses

  2. Pingback: Panorama da Teologia Feminista Brasileira | angeliquisses

  3. Pingback: Panorama da Teologia Feminista Brasileira – parte 5 | angeliquisses

  4. Pingback: Panorama da Teologia Feminista Brasileira – parte 6 | angeliquisses

  5. Pingback: Panorama da Teologia Feminista Brasileira – parte 4 | angeliquisses

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s